Ode ao Prelúdio


Minha primeira valsa

Só sei dançar valsa, mesmo assim muito mal. Minha primeira experiência foi na formatura da pré escola, dancei com uma menina que tinha uma irmã 3 anos mais nova e pareciam irmãs gêmeas, depois que cresci, inventei com minha mãe que são filhos feitos todos na mesma posição, bem, dá pra entender não é? Eu queria mesmo era dançar com uma menina que usava um vestido amarelo e me lembrava a Magali, ela era a única de vestido amarelo já que as cores das roupas tinham de ser brancas com detalhes vermelhos. Pra mim não foi muito difícil, eu tinha um allstar vermelho muito cheiroso na época mas minha mãe insistiu que ficava melhor aquele sapato branco com bermuda social, camisa também branca e gravata vermelha, acreditei e graças a Deus quando cheguei no pátio da escola vi que não era só eu que fui convencido daquela tristeza.

Depois dancei também com a filha de um amigo do meu pai, minha mãe ficou totalmente PUTA DA VIDA porque eu não queria e ele me obrigou, era só a menina mais chata e gorda do pré, sabe como é, não é por mal, crianças são maldosas, ela era muito e todos os outros por sua vez também, dançar com a gordinha que é mais forte do que eu e todos meus amigos juntos? não, não era pra mim, hoje confesso que nem ligo pra essas coisas de magrinha, gordinha bla bla bla, mas crianças LIGAM, pelo menos sua grande maioria. De qualquer jeito dancei, ela não tinha par e ficou na valsa sentada junto com os meninos bagunceiros que também não tinham conseguido par, meu pai me fez ir lá convida-la e dançar sozinho, no maior estilo casalzinho, e os pais dela ainda tiraram fotos.

Não bastando isso começou a virar um festival de troca de casais todo mundo tirando foto fingindo que estava dançando com outro todo mundo. Não compramos as fotos dessa formatura, ficamos só com a VHS, ainda bem!

Sempre acabo encontrando essas pessoas que estudei pela rua, metrô, ônibus, outro dia encontrei um dos meus melhores amigos do pré (Humberto) no McDonald’s ele era gerente ou algo assim, foi bem legal eu ainda não usava barba, estava na fila e ele disse “DANILO? AAAAAAAH” e o reconheci na hora, foi muito bom, anos depois encontrei ele num ponto de ônibus, todo de social, tinha se formado e estava finalmente num emprego que não o escravizaram, voltei a ficar feliz, interessante esses sentimentos por pessoas que nem convivemos mais não é?

As vezes tenho medo de não reconhecer as pessoas pela rua, esqueço nomes com uma facilidade, letras então nem se fala, é bom lembrar do passado com alegria, a muitos anos atrás eu dançava uma valsa descompromissada e sonhava com aqueles amores platônicos de criança.

Esse ano compus minha primeira valsa, fiz porque sempre quis fazer uma valsa, o marcinho chegou com a letra, tão simples quanto ela, tão leve, queria saber tocar piano e dançar valsa de verdade, acho que ando fora da moda, acho que continuo dançando valsa, forró e samba seguindo linhas bem tortas, pelo menos ainda sei disfarçar.

Esses dias conheci uma menina que me lembra a menina do vestido amarelo, a diferença é que a menininha não sabia passar delineador.

A valsa é um grande vai e volta assim como tudo que escrevo.

Danilo Tavares

Anúncios

1 Comentário so far
Deixe um comentário

engracado, falamos em dancar hoje, e me deparo com seu texto…

Comentário por Eu




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: