Ode ao Prelúdio


Sobre um pré texto.
12/03/2010, 5:25 PM
Filed under: Durante a tarde surge

Com o tempo me calo, vou tornando o som a minha volta mais de mim, mudo me expresso tão bem quanto antes, minha vida assim como a da maioria dos seres vivos está em constante mudança, o foda é não saber quando isso tudo termina.
Dizem que se preocupar com o fim é uma bobagem e devemos sempre viver o hoje, seja lá como for, irremediável ainda é uma palavra que pra mim não tem serventia, até hoje pelo menos, assim como outras demais, são facilmente substituídas, não sei se é amplidão do meu idioma ou a ignorância de quem tem voltado a ter preguiça de ler, talvez seja o segundo motivo. Tudo isso garantiria a integridade do texto, se não fosse exatamente o avesso, escrevo porque sinto, porque quero e fim. Quando começo a ler ou escrever não existe meio, o fim é o que quero, o mais rápido possível, talvez tenha medo de me apegar ao que falo, talvez ainda seja aquela mania de corrigir infinitas vezes o que escrevo e por isso escrevo, porque pra quem escreve nada é irremediável, pra quem lê… nem sempre.

Danilo Tavares

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: