Ode ao Prelúdio


A importância do diálogo.
13/04/2010, 4:21 AM
Filed under: Cartas

O tempo que tive pra cavar algo, sempre foi pequeno demais
Toda aquela sensação de único não existe mais
Parece que o que esquentava meu estômago,
As tais borboletas que tanto falam
Entraram em combustão,
Sinto queimar e esquentar todo o corpo.
Talvez o que eu não tenha nunca perguntado
Tenha alimentado meu ciúme.
E quando finalmente paro pra ver o mundo ao seu redor
Me vejo de canto
Num banco, em banho maria.
Não importa o que eu diga
O que mudaria algo seria o que você diria
Eu não vou perguntar,
Minha imaginação já é boa o bastante pra estragar tudo,
Tudo que ainda nem construímos
Tudo que sempre foi um ponto de nada com esperança de pouco.
Talvez se me calasse ao invés de falar tanto
Eu poderia me sentir tão importante quanto quem está longe,
Mas se fosse assim, eu não te diria nada
Não ouviria nada, não sentiria nada
Preferiria não te amar.

Danilo Tavares

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: