Ode ao Prelúdio


Como atravessar a rua.
20/08/2010, 7:53 PM
Filed under: você

Eu queria atravessar a rua, mas acho que o rabecão tem mais direito do que eu de ocupar esse espaço. Mesmo que atrasado ele não corre, já eu, espero que a morte passe e nenhuma daquelas portas abra.

Eu Já nem sei porque queria atravessar a rua, e mesmo que soubesse lembrar da piada da galinha é melhor que lembrar da fina realidade que me impulsiona ao outro lado da rua.

Agora o motoqueiro da esquina que faz entregas para o bar que também fica na esquina (não que eu saiba que ele faz mesmo, apenas presumo) me cumprimenta como se eu fosse morador do bairro, eu não sei se gostaria de morar ali, talvez por ela morar ali eu simplesmente goste de estar onde ela está. Tá… talvez eu goste sim, lembrei que música com batida contínua não me agrada depois de algum tempo ouvindo, muito menos multidão, ela nesse caso e em quase todos os outros é o oposto de mim.

Antes de terminar o último lance de escadas encontro parte da casa no corredor – que mais faz parte do apartamento de baixo – nos cumprimentamos. Ao abrir a porta, tudo o que se encontra lá dentro é indescritível e se dependesse de momentos como esse eu pararia de escrever.

Engraçado que quando ela não está, eu posso descrever cada centímetro que observo dos cômodos, mas não devo, não tenho porque.

Saio Cedo, volto pra casa correndo para o trabalho e eu queria atravessar a rua, e atravesso.

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: